quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

"Balada para um louco"...


A postagem a seguir traz minha homenagem a um homem que conheci bem garoto, início dos anos 80. Era um músico de muito talento, de uma imponência que carimbava qualquer um. Ele aparecia - nos eventos que meu pai inventava - com sua a viola, um canto marcante, num repertório visceral, como a sua maneira de levar a vida.

Perambulou parte da minha infância, tornando-se um quase “mito”, sensação que se acentuou ainda mais quando passou sumido nos anos que seguiram. Depois ainda tivemos um novo e rápido contato com essa figura, no começo dos anos 90. Eu já compreendendo ali que a sua vida visceral lhe tragava com os vícios da noite. Ele, nessa lacuna de tempo, tinha contraído hanseníase, no corpo e na alma. Uma dura pena!

Fim de novembro de 2008, ele reapareceu, inacreditavelmente (pra gente). Ainda resiste como Walter Morales (71), na triste Colônia do Prata (Igarapé-Açu/PA), onde residem outras tantas vítimas da doença que o consome. Esse reencontro se deve à prof.a. Socorro Barbosa que atua bravamente em sua profissão neste ambiente de pessoas resistentes ao antigo descaso.

Morales trouxe as velhas novidades: um canto estiloso, de interpretação rara; a simpatia, que o fez não ser esquecido; a dor de ser um pobre brasileiro(registrado em Xapuri/AC), embora tenha nascido na Bolívia.

Entre tantas canções populares no link a seguir, seguem composições próprias de Walter, tocadas no seu violão, amanhecido, em 1983, numa daquelas mil festas que citei a pouco, boladas por meu pai (o Sales). Vez ou outra aparece um cavaquinho, o qual era tocado por outra figura ímpar – Ponês. Não reparem tanto, pois estão cheios da noite...


Ouça aqui Walter Morales (gravação retirada de um idoso K7):
http://www.4shared.com/file/73812023/bad2c19f/Walter_Morales_-1983.html


Importante: (1) Walter participou do filme de Líbero Luxardo, “Brutos e Inocentes”, em 1974. Ele assinala numa “palhinha” cantando a sua música “Meu Canto É Livre”, a qual disponibilizo um trecho no link acima. A informação foi confirmada por Iracema Oliveira, nome ilustre da cultura paraense, a qual também participou do filme como parteira(ela, inclusive, cantarolou a referida música quando perguntei sobre os detalhes do filme, durante a peça "Iracema Voa" (de Ester Sá) em sua homenagem, dia 15.12.08, no IAP. Ela se emocionou ao saber que Morales está na ativa, mesmo no Prata). (2) Ele anda doido atrás de informações sobre seus familiares. Acredita que ainda estão vivos o seu filho Rômulo (por Belém) e sua irmã que mora no RJ, em Copacabana. Será que tem como ajudá-lo nestes casos?
OBS: o título da postagem foi “Balada para um louco” porque ele interpretava lindamente essa pérola do Astor Piazzolla, em parceria com Amelita Baltar. Como não a tenho listada nesses MP3, segue a filmagem caseira dele – já bem senhor – interpretando-a (sem áudio). Isso foi no dia 30.11.08, no reencontro, na Praça do Carmo, Belém-PA. Percebam a riqueza dos gestos!

Trecho da letra: “quer-me assim maluco, maluco, maluco? Abre os amores que vamos tentar a mágica loucura total de reviver... Vem, voa, vem”...

Pra fechar! Comentando depois essa música com o Morales, ele ressaltou: “de tanto cantar isso, eu já até pensei que seria esse ‘louco’”.

video

Quem quiser escutar a música, segue o link de uma fina interpretação no youtube:
http://br.youtube.com/watch?v=XLVJxxq0ncU

Abraços do Quaderna Allan Carvalho!

Nenhum comentário: